Para reflectir

O blog da Paróquia da Amadora

Que procuramos?

“Que procuram?” São as primeiras palavras de Jesus no Evangelho segundo S. João. Que buscamos? Que sonhos conduzem as nossas vidas? Que horizontes almejamos alcançar? Que razões nos impelem a juntar-nos a Jesus? Que pretendemos d’Ele? Onde queremos ir com Ele? Nem sempre é fácil exprimirmo-nos, ‘à primeira’, com asserção, e acabamos por lançar ‘ao lado’: “Onde moras, Mestre?” Mas era mesmo isto que gostávamos de saber?Jesus não se incomoda com o nosso embaraço circunstancial. “Venham ver”. E nós fomos. Vimos onde Ele morava. Ficámos. Registámos a hora. Aquele Encontro reiniciou as nossas vidas. Jesus ensina em movimento. No caminho. Ele explica-nos a Vida, atravessando-a por dentro. Só poderemos ser discípulos do Mestre se tivermos a alma de buscadores e o arrojo de peregrinos. Somos seguidores. Seguimos para descobrir Jesus e, com Ele, desvendar o sentido de ‘estarmos aqui’. No turbilhão deste temporal pandémico, não nos percamos de Jesus. Nem … >> continuar a ler

“Tu és o meu Filho muito amado”

As nossas vidas começam nas águas de um ventre materno.E a água permanece essencial para a nossa existência. Sem água não sobrevivemos.Baptizar significa mergulhar, imergir; também, embeber, como uma esponja absorve um líquido.Ser baptizado é retornar ao útero de uma Mãe para nascer de novo.O baptizado está submerso em Deus. E impregnado do Seu Amor. Ele em Deus. E Deus nele.O baptizado carrega 70% de água no corpo e 100% de Eternidade no coração.Jesus não tinha pecados, não precisava de conversão, não necessitava do baptismo de João.Ao deixar-se mergulhar nas águas, Jesus coloca-Se ao lado do povo pecador. Ao nosso lado.Jesus junta-Se a nós e reúne-nos com Ele.Convoca-nos para uma peregrinação humana-divina: vamos Sonhar, juntos. – Tu és o meu filho muito amado.Estas palavras não se dirigem somente a Jesus, mas a cada um de nós.A voz escutada no coração de Jesus também ressoou no dia do nosso Baptismo.Naquele momento, … >> continuar a ler

As sementes de um novo ano

Também fomos adorar o Menino. Não levámos coisa alguma. Que poderíamos doar ao Senhor de Tudo? A oferenda éramos nós. Pobres e frágeis mas disponíveis. Jesus e seus Pais agradeceram. Entregaram, a cada um, uma bolsa com 365 sementes. Para serem depositadas, nos corações, uma a uma, todos os dias, ao longo do Ano. Descobrimos que as sementes eram de abraço, obrigado, perdão, partilha, dádiva, paixão, atenção, beijo, desejo, decisão, iniciativa, proposta, gentileza, vitória, amor, reconciliação, oferta, evolução, viagem, sorriso, conversão, nascença, cuidado, compromisso, carícia, renovação, sim, não, invenção, partida, chegada, pausa, demanda, sonho, tempo, desafio, bênção, projecto, simplificação, recomeço, cântico, visita, lágrima, início, fim, mudança, fortaleza, sublimação, subida, descida, determinação, atitude, pacificação, passagem, entrada, festa, generosidade, verdade, fé, simpatia, disponibilidade, gratidão, educação, afabilidade, amizade, escuta, benevolência, bom senso, humor, alegria, honra, entusiasmo, simplicidade, fidelidade, inteligência, liberdade, persistência, audácia, paz, humildade,sobriedade, empenho, responsabilidade, dança, serenidade, leitura, atenção, honestidade, paciência, justiça, … >> continuar a ler

“Para levar adiante uma família, é necessário usar três palavras: com licença, obrigado, desculpa” (Papa Francisco)

Com licençaCom licença: posso entrar? Com licença: posso ser teu amigo? Com licença: podes conceder-me um pouco da tua atenção? Com licença: posso saber por que estás assim? Com licença: posso dar-te uma ajuda? Com licença: permites que eu caminhe ao teu lado? Com licença: posso perguntar-te por que te afastaste? Com licença: posso saber o que estás a pensar? Com licença: posso falar-te de Jesus? ObrigadoObrigado por me teres escolhido para teu esposo. Obrigado por me teres escolhido para tua esposa. Obrigado por serem pais fantásticos. Obrigado por serem filhos excelentes. Obrigado por me teres perdoado. Obrigado por estares sempre disponível. Obrigado por confiares em mim. Obrigado pelaconversa. Obrigado pela oferta. Obrigado pela tua fidelidade. Obrigado pelo bom conselho. Obrigado pelo abraço. Obrigado pela vida que partilhas comigo. Obrigado pelo teu sorriso. Obrigado por não desistires de mim. Obrigado pelo teu carinho. Obrigado por seres um bom irmão. Obrigado … >> continuar a ler

“Conceberás e darás à luz um Filho”

Maria: Deus olhou para ti e encantou-Se com a tua beleza.Maria: “Alegra-te, ó escolhida de Deus, o Senhor está contigo”. Foi o início.Maria: com o teu ‘Sim’ permitiste a Deus vir habitar no meio de nós.Maria: avançaste, não com certezas, mas com o teu coração ancorado em Deus.Maria: acolheste o amor de José e quiseste unir-te a ele como esposa.Maria: aceitaste dar à luz Jesus num tugúrio desprovido de luz.Maria: tu para José, José para ti, os dois para Jesus, os três para Deus.Maria: achavas-te ínfima, mas peregrinaste com o Céu dentro de ti.Maria: conservavas o que não entendias e esperavas pela aclaração de Deus.Maria: nunca hesitaste em partir para beijar e abraçar todas as periferias.Maria: mais que ninguém, escutaste e viveste a Palavra.Maria: os teus olhos eram humanos, mas o teu olhar captava a Eternidade.Maria: a tua presença aquietava as tempestades.Maria: confirmaste que a felicidade germina num coração agradecido.Maria: … >> continuar a ler

«Quem és tu?»

Queriam saber quem eras tu, João.És a Luz? És Elias? O Profeta? O Messias?Seria fácil e prazenteiro, para ti, afirmares que sim. Poucos iriam contestar.Não sou – foi a tua resposta às interrogações. A verdade sempre se manteve acampada no teu coração.Mantiveste-te determinado e inteiro. Comprometido com a missão. Fiel a Deus.Eles viam-te como um sol. Tu consideravas-te uma modesta candeia.Eles supunham que fosses Elias. Tu sabias que eras pó da terra e João era o teu nome.Eles tinham-te como um iluminado. Tu reconhecias-te como um arado que lavra o solo da alma.Eles julgavam que serias o Messias, o Ungido. Tu achavas-te inferior a um escravo.Tu, indiferente às catalogações, permanecias nas margens do rio,mergulhando nas águas os que te procuravam, a fim de renascerem para uma vida nova.Não permitiste que a sugação da vaidade te arrebatasse do contacto com o chão da humildade.Assumias, isso sim, ser uma voz. Proclamavas, com … >> continuar a ler

“Estar vigilante” significa viver empenhado na transformação do mundo

A certeza da ressurreição garante-nos que Deus tem um projeto de salvação e de vida para cada homem; e que esse projeto está a realizar-se continuamente em nós, até à sua concretização plena, quando nos encontrarmos definitivamente com Deus. A nossa vida presente não é, pois, um drama absurdo, sem sentido e sem finalidade; é uma caminhada tranquila, confiante em direcção a esse desabrochar pleno, a essa vida total em que se revelará o Homem Novo. A questão fundamental que os cristãos devem pôr, a propósito da segunda vinda do Senhor, não é a questão da data, mas é a questão de como esperar e preparar esse momento. O autor do nosso texto deixa claro que o que é preciso é estar vigilante. “Estar vigilante” não significa ficar a olhar para o céu à espera do Senhor, esquecendo e negligenciando as questões do mundo e os problemas dos homens; mas … >> continuar a ler

O Senhor vem

O Evangelho deste domingo coloca-nos diante de uma certeza fundamental: “o Senhor vem”. A nossa caminhada humana não é um avançar sem sentido ao encontro do nada, mas uma caminhada feita na alegria ao encontro do Senhor que vem. Não se trata de uma vaga esperança, mas de uma certeza baseada na palavra infalível de Jesus. O tempo de Advento recorda-nos a realidade de um Senhor que vem ao encontro dos homens e que, no final da nossa caminhada por esta terra, nos oferecerá a vida definitiva, a felicidade sem fim. O tempo do Advento é, também, o tempo da espera do Senhor. O Evangelho deste domingo diz-nos como deve ser essa espera… A palavra mágica é “vigilância”: o verdadeiro discípulo deve estar sempre “vigilante”, cumprindo com coragem e determinação a missão que Deus lhe confiou. Estar “vigilante” não significa, contudo, preocupar-se em ter sempre a “alminha” limpa para que … >> continuar a ler

O Reino de Deus está no meio de nós

O Reino de Deus – isto é, esse mundo novo onde reinam os critérios de Deus e que se constrói de acordo com os valores de Deus – é uma semente que Jesus semeou, que os discípulos são chamados a edificar na história (através do amor) e que terá o seu tempo definitivo no mundo que há-de vir. Não esqueçamos, no entanto, este facto essencial: o Reino de Deus está no meio de nós; a nossa missão é fazer com que ele seja uma realidade bem viva e bem presente no nosso mundo. Depende de nós fazer com que o Reino deixe de ser uma miragem, para passar a ser uma realidade a crescer e a transformar o mundo e a vida dos homens. In site dos Dehonianos

Há cristãos que têm a coragem de arriscar

Os dois “servos” da parábola que, talvez correndo riscos, fizeram frutificar os “bens” que o “senhor” lhes deixou, mostram como devemos proceder, enquanto caminhamos pelo mundo à espera da segunda vinda de Jesus. Eles tiveram a ousadia de não se contentar com o que já tinham; não se deixaram dominar pelo comodismo e pela apatia… Lutaram, esforçaram-se, arriscaram, ganharam. Todos os dias, há cristãos que têm a coragem de arriscar. Não aceitam a injustiça e lutam contra ela; não pactuam com o egoísmo, o orgulho, a prepotência e propõem, em troca, os valores do Evangelho; não aceitam que os grandes e poderosos decidam os destinos do mundo e têm a coragem de lutar objectivamente contra os projectos desumanos que desfeiam esta terra; não aceitam que a Igreja se identifique com a riqueza, com o poder, com os grandes e esforçam-se por torná-la mais pobre, mais simples, mais humana, mais evangélica; … >> continuar a ler

<< ver artigos anteriores

horarios

Horários

    Missas

    • Sábado
    • 17h (vespertina)
      19h
      Capela de St.º António
      Igreja Matriz
    • Domingo
    • 9h30
      11h30
      19h
      Igreja Matriz
      Igreja Matriz
      Igreja Matriz
    • Semana
    • 2.ª a 6.ª feira
      3.ª e 5.ª feira
      19h
      9h30

    Acolhimento

    • Para diálogo, Sacramento da Reconciliação ou aconselhamento espiritual.
    • 3.ª feira
      4.ª feira
      5.ª feira
      6.ª feira
      17h-18h30
      17h-18h30
      10h-11h30
      17h-18h30
    • Outros momentos, fora destes períodos, poderão ser combinados.

    Abertura/Fecho da igreja

    • De segunda a sexta:
    • 9h-12h 17h-19h30
    • Sábado:
    • 9h-12h 17h-20h
    • Domingo:
    • 9h-12h30 17h-20h
avisos

Informações